Ziraldo apresenta seu lado artista plástico na mostra “Zeróis: Ziraldo na Tela Grande”.

Renato Acha

A exposição “Zeróis: Ziraldo na Tela Grande” homenageia o multi talentoso artista no Museu Nacional do Conjunto Cultural da República e apresenta 44 telas em grandes formatos com técnicas de tirinhas em pinturas. Elas foram produzidas durante mais de três anos de trabalho intenso e remetem ao trabalho do fundador de O Pasquim.

Ziraldo é chargista político, cartunista, caricaturista, cartazista, logotipista, jornalista, cronista, teatrólogo e diretor de jornais. Personagens como o Menino Maluquinho, a Turma do Pererê e Flict se celebrizaram em suas mãos. Mais conhecido pela atuação como escritor de livro infantil e apresentador de programas de televisão, ele mostra agora seu lado artista plástico na mostra que conta com design de Daniela Thomas e arquitetura de Felipe Tassara.

“A coleção de quadros que aqui apresento resulta de mais de cinco décadas de busca. A história emquadrinhos foi o berço onde a pretensão deste trabalho nasceu, e onde mergulhei de cabeça há cinco anos. E aqui está a pintura que me dá a alegria de dizer: – Meu Deus, era isto que eu queria fazer…!”, revela Ziraldo.

Trata-se de uma viagem pelo trabalho do autor desde 1960, onde seus super-heróis ganham telas enormes telas, com a grande maioria de desenhos feitos especialmente para este suporte. A isto se acrescenta o diálogo que Ziraldo resolveu criar com grandes nomes da história da arte, como Picasso, Velázquez, Goya, Dali, Grant Wood, Hopper, Mathieu, Lichtenstein e Warhol, entre outros.

“Apesar de ter se desdobrado em tantas e tão diversas vertentes criativas, a paixão inicial pelos quadrinhos, com seus heroicos personagens, perpassa toda a suaobra e serve de motivação à mais nova expressão do seu talento: a pintura decavalete”, afirma Maria Gessy de Sales, que assina o texto de apresentação da exposição. Ainda de acordo com ela, o ridículo existente por trás do mito americano do poder, da força, da invencibilidade, evidenciado através da bem-humorada síntese visual de Ziraldo, permanece como uma leitura possível do momento presente. “O desmascaramento dos super-heróis transforma-os em personagens frágeis, risíveis, falíveis. Assim feitos, sofrem as contingências da vida, como o envelhecimento, tema da obra O Super-Asilo, uma das telas mais instigantes da série”, explica.

A designer Daniela Thomas fala sobre sua relação com o pai: “Ziraldo na Tela Grande” é o projeto – dos milhares que ele vem acumulando vida afora – que mais mobilizou seu estúdio e sua vida. Posso dizer com certeza, porque uma das muitas graças de ser filha do Ziraldo é a constante chamada a acompanhar os‘últimos projetos’. São muitos, frequentes e variados”.

A exposição “Zeróis: Ziraldo na Tela Grande” contará com uma equipe de profissionais especializados em Artes Visuais, Letras, Filosofia e História, entre outras áreas do saber. Essa equipe multidisciplinar irá trabalhar com público escolar – em seus níveis fundamental, médio e universitário – e com público espontâneo, a partir de percursos previamente elaborados. O objetivo é explorar, de forma pedagógica, as possibilidades da exposição de acordo com a necessidade de cada visitante.

Sem distinção de idade, o Programa Educativo convida o público do Distrito Federal a vivenciar, acompanhado deeducadores, o novo e instigante trabalho do Ziraldo. Ao final da visita, que dura cerca de uma hora, o público escolar agendado poderá participar de um momento lúdico, além de receber o caderno de mediação, que consiste em um folheto didático.

Agendamento de grupos:

Notoriall: (61) 3033-2929

De 6 de março a 29 de abril

Segunda a sexta-feira, das 9h às 13h.

Serviço: Zeróis: Ziraldo na Tela Grande – Brasília

Data: De 6 de março a 29 de abril de 2012

Visitação: de terça a domingo, das 9h às 18h30

Local: Museu Nacional do Conjunto Cultural da República (Setor Cultural Sul, lote 2, Esplanada dos Ministérios)

Entrada franca

Classificação indicativa: livre.