Karina Buhr, Lola Aronovich e Leila Lopes discutem Ciberativismo Feminista e a Luta pelos Direitos Humanos hoje no Museu.

Karina Buhr. Divulgação.
Karina Buhr. Divulgação.

O Museu Nacional da Republica será ocupado nesta quarta (9 de dezembro) por pensadoras feministas que lutam pelos direitos humanos e direito de protestar. Elas integram a Roda de Diálogo: Ciberativismo Feminista e a Luta pelos Direitos Humanos. Pela luta constante também no mês que se comemora o Dia Internacional dos Direitos Humanos, e neste ano marca as lutas e resistências contra o conservadorismo, antidireitos e fundamentalista, várias feministas pensadoras se juntam para refletir e dialogar sobre toda a movimentação feminista.

Sim! A resistência para aprovação do PL 5069. Mas também de toda luta contra a votação do Estatuto da Família, e da Redução da idade Penal. Da luta e resistência incansável contra o fundamentalismo religioso no Brasil, a intolerância religiosa, e pelo fim do Genocídio da juventude negra. E ainda a busca por criar espaços de acolhida para as denúncias dos crimes de assédio e da violência psicológica, física e sexual.

Trata-se das campanhas #primeiroassédio#meuamigosecreto As redes sociais e o mundo que pulsa virtual tornaram-se um grande espaço de denúncias, lutas e resistência. Uma possibilidade de diálogo com uma parte da sociedade. E por tudo isso que tal dialogar com três ciberativistas feministas? Três mulheres inquietas, ousadas e criativas que estão dispostas a trocar suas impressões sobre este momento do nosso ativismo. São elas:

Karina Buhr: cantora, compositora, instrumentista, atriz, escritora, blogueira , Pernambucana, residente em São Paulo.

Lola Aronovich: Professora da UFC e autora do blog “Escreva Lola Escreva”

Leila Lopes: ciberativista, afrofuturista, designer gráfica, blogueira, coordenadora do Panelladexpressão.

Serviço: Roda de Diálogo: Ciberativismo Feminista e a Luta pelos Direitos Humanos
Data: 9 de dezembro (quarta) às 19 horas
Local: Museu da República Honestino Guimarães (Setor Cultural Sul)
Entrada franca
Classificação indicativa: Livre.