O Ministro da Cultura, Juca Ferreira, fala sobre as políticas culturais e o movimento #ficajuca.

Juca Ferreira. Foto de Renato Acha.

Acha – Qual o balanço das conquistas do Ministério da Cultura em prol das políticas culturais?

Juca Ferreira -“Eu acho que ainda está muito cedo para fazer um balanço porque nós ainda temos um pouco mais de um mês e o Ministério está desenvolvendo o trabalho como viemos fazendo até agora. Mas tem muita coisa bacana, a gente deu dignidade à política cultural e Estado não é o ‘lobo mau’ da história, pelo contrário, o Estado democrático é garantia de desenvolvimento cultural, de realização dos direitos culturais da população e da possibilidade de apoiar intensamente o desenvolvimento da produção cultural e é isto que a gente tem feito. Estou dizendo de uma forma muito sintética, mas tudo tem esta orientação, ajudar o desenvolvimento da produção cultural brasileira, apoiar a ampliação do acesso pleno por parte da população e desenvolvimento de uma economia forte“.

Acha – O que você acha do movimento #ficajuca, que tem acontecido no Twitter, no Facebook e entre a classe artística?

Juca Ferreira – “Eu acho ótimo, eu me sinto lisonjeado com este movimento, só acho que a gente não deve dar um sentido de pressão sobre a presidenta eleita, pois ela está formando o seu governo, tem que ter toda a liberdade, mas evidentemente eu me sinto recompensado com este carinho das pessoas que trabalham com cultura e me sinto orgulhoso porque o trabalho é pesado, são 14 horas por dia durante oito anos, são dois anos como Ministro e este reconhecimento bate bem dentro de mim“.

Acha – E o Festival de Cinema de Brasília?

Juca Ferreira – “Este Festival é ótimo, é um dos mais importantes do Brasil, tenho a maior expectativa sobre ele e gostaria de parabenizar os organizadores“.